quarta-feira, 11 de agosto de 2010

FUTEBOL ARTE...


Neymar e Alexandre Pato tiveram sua redenção ontem. ‘Renegados’ pelo ex-treinador da seleção brasileira, ambos brilharam para definir a vitória sobre os Estados Unidos, por 2 a 0, no início da Era Mano Menezes. Em seu primeiro compromisso no cargo, Mano Menezes colocou em campo jovens talentos em formação ofensiva. O sistema 4-3-3 e a fragilidade da seleção americana abriram espaço o amplo domínio verde-amarelo, com destaque para a consistente atuação dos ‘renegados’ de Dunga. Ganso organizou o meio-campo, Robinho deu qualidade à movimentação e Neymar e Pato foram às redes.


A seleção brasileira começou a partida errando muitos passes, sem se encontrar, acuada pelos norte-americanos. Aos 2 minutos, Donovan aproveitou passe errado de Daniel Alves, invadiu a área na frente de Thiago Silva e bateu, desequilibrado. Victor defendeu com os pés, evitando o gol norte-americano.

Aos poucos, o time foi se encontrando. Centralizado, Ganso fez o jogo girar pelos lados, onde Neymar e Robinho tinham o apoio de Daniel Alves e André Santos. O gol saiu aos 28 minutos: André Santos avançou pela esquerda e cruzou na medida para Neymar, bem colocado, cabecear para o fundo da meta. Aos 32 minutos, um bom lance surgiu pela direita: Daniel Alves recebeu livre e passou para Alexandre Pato, que tocou a bola e trombou com Howard antes de completar para o gol, o árbitro marcou falta.

A seleção brasileira manteve o domínio da partida no final do primeiro tempo, tocando a bola e esperando uma boa oportunidade. Continuando com a postura ofensiva, acabou recompensada já nos acréscimos, aos 46: Ramires viu a defesa rival em linha e passou em profundidade para Pato, que invadiu a área em velocidade, driblou Howard e completou para as redes, ampliando.

Na segunda etapa, a seleção voltou perdendo uma incrível chance. Aos 8 minutos, Daniel Alves cruzou da direita, Alexandre Pato furou ao tentar completar de letra e Neymar acabou travado. Na sobra, Robinho bateu rasteiro e acertou a trave norte-americana.

O tão exaltado ‘quarteto santástico’ se formou em campo quando, aos 21 minutos, André substituiu Alexandre Pato. Hernanes também entrou, na vaga de Ramires. O esquema tático foi mantido com três atacantes. Sobrava espaço para os avanços dos atacantes brasileiros que foram criando situações para ampliar o marcador, mas esbarravam na boa atuação do goleiro Guzan, que havia substituído Howard. O suplente fez excelentes defesas.

EUA: Howard (Brad Guzan); Spector, González, Bocanegra (Goodson) e Bornstein; Feilhaber (Altidore), Edu, Bradley e Bedoya (Gomez); Donovan (Findley) e Buddle (Kljestan)
Técnico: Bob Bradley

Brasil: Victor; Daniel Alves, David Luiz, Thiago Silva e André Santos; Lucas, Ramires (Hernanes) e Ganso (Jucilei); Robinho (Tardelli), Neymar (Ederson) (Carlos Eduardo) e Alexandre Pato (André)
Técnico: Mano Menezes

Local: Estádio New Meadowlands, em Nova Jersey (EUA)
Árbitro: Silviu Petrescu (Canadá)
Assistentes: Joe Fletcher e Daniel Belleau (ambos do Canadá)

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

SAIA DA "MESMICE" E SEJA MAIS UM...


Sabe aquela hora em que você deseja que tudo fosse diferente?
Pois a Hora é Esta!
Quando boa parte dos acordos políticos
apostam em dois candidatos...
Uma parcela significativa de idealizadores "arregaça as mangas"
Para a mudar os rumos da história da política brasileira.
A Hora é Esta!
Quando um "facho de luz", sutil, mas firme,
Aparece na densa massa política Mostrando
Que ainda existe gente com "garra" nessa "terra mais garrida"
Gente, como Marina Silva
Gente, como eu e você, que acredita num ideal
E a Hora é Esta!
Hora de ver as propostas e mudar as pesquisas...
Hora de agir e mostrar que "um  mais um" vale mais que mil
Nessa corrente brasileira que tem a cara do Brasil
"Vem, vamos embora que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora não espera acontecer"...
A Hora é Agora!
Marina Silva. "Tudo a ver"!

(Liege Gomes Machado de Melo)